terça-feira, 26 de julho de 2016

Saúde Naval - DSM

Você já acessou o site do Saúde Naval?
Ao longo dos próximos dias, vamos apresentar todas as abas do site. 
No canto superior esquerdo, por exemplo, fica o logotipo. Ao clicar, você entende como ele foi
criado e o que ele representa.
Logo abaixo, você encontra o Menu principal com acesso ao:
Guia Médico - relação de especialidades médicas por Unidades do Rio de Janeiro.
Guia Odontológico - relação de especialidades odontológicas por Unidades do Rio de Janeiro.
Cartilhas e Folders - informações completas e dicas sobre temas de relevância.
Manual do Paciente Internado - informações importantes para pacientes internados no HNMD e UISM.
Maternidade e UTI Neonatal – além do manual, estamos preparando uma galeria de fotos dos recém-nascidos no HNMD.
Acesse www.saudenaval.mar.mil.br.
Lembre-se que o site também pode ser acessado pelo celular.
#somostodosfamilianaval
 Extrato do BONO  Nº 516 DE 21 DE JULHO DE 2016
 
Por Lucio Lucena
Assessor da Presidência da AVCFN, Editor do Blog
Visite o site: www.avcfn.com.br
Faça Contato e junte-se a nós!
Telefones - (21) 2233-3162 (21) 2126-5107 (21) 2253-1170

segunda-feira, 25 de julho de 2016

Tente Outra Vez - Raul Seixas

Tente Outra Vez
Raul Seixas

Veja!
Não diga que a canção
Está perdida
Tenha fé em Deus
Tenha fé na vida
Tente outra vez!

Beba! (Beba!)
Pois a água viva
Ainda tá na fonte
(Tente outra vez!)
Você tem dois pés
Para cruzar a ponte
Nada acabou!
Não! Não! Não!

Oh! Oh! Oh! Oh!
Tente!
Levante sua mão sedenta
E recomece a andar
Não pense
Que a cabeça aguenta
Se você parar
Não! Não! Não!
Não! Não! Não!

Há uma voz que canta
Uma voz que dança
Uma voz que gira
(Gira!)
Bailando no ar
Uh! Uh! Uh!

Queira! (Queira!)
Basta ser sincero
E desejar profundo
Você será capaz
De sacudir o mundo
Vai!
Tente outra vez!
Humrum!

Tente! (Tente!)
E não diga
Que a vitória está perdida
Se é de batalhas
Que se vive a vida
Han!
Tente outra vez!

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Veterano FN Realiza Curso na AVEAPE-RS

    O Veterano Jorge Luiz Rodrigues Cescani, realizeu um curso na Polícia do Exército que foi promovido pela Associação dos Veteranos e Amigos da Polícia do Exército (AVEAPE-RS). Esse curso tem como objetivo a formação de instrutores no EPAM (Estágio e Prevenção de Acidentes com Motocicletas).
   O Veterano Jorge Luiz Realizou o curso como integrante da Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais, Seção Regional Porto Alegre (AVCFN/SR/PA).
   Parabéns ao Veterano Jorge Luiz pela conclusão do excelente e útil curso e a AVCFN/SR/PA pela oportunidade que oferece aos Associados.
BRAVO ZULU!
Por Lucio Lucena
Assessor da Presidência da AVCFN, Editor do Blog
Visite o site: www.avcfn.com.br
Faça Contato e junte-se a nós!
Telefones - (21) 2233-3162 (21) 2126-5107 (21) 2253-1170

O Fantástico e sua 'Geni' da vez: a previdência dos militares

Como anunciado, o Fantástico da rede Globo apresentou ontem uma matéria sobre o sistema previdenciário brasileiro. Não por acaso, a questão dos militares ficou para o final da reportagem. Afinal, é a parte da qual a maioria dos telespectadores vai lembrar quando acordar hoje.
Dos treze minutos de exibição, extrai duas afirmações que considero mais relevantes para o tema:


 
"O sistema da Previdência dos militares também será objeto de avaliação, só não será junto com o sistema geral, nem com o servidor público comum." Eliseu Padilha, ministro-chefe da Casa Civil.
- Essa é uma expectativa - quase certeza - que todos temos. A principal alteração que se avizinha deverá ser o aumento do tempo mínimo de permanência na ativa dos atuais 30 para 35 anos de serviço.


"Essa pensão para as filhas foi extinta na última reforma do sistema de aposentadoria dos militares, mas só para que ainda não estava no sistema. Isso significa que se um militar, que já estava na ativa, daqui há dez anos por exemplo, tiver uma filha,essa menina já vai nascer com o direito de receber a pensão após a morte do pai, pelo resto da vida dela." Sônia Bridi, repórter da Globo.
- Aqui, uma omissão grave: a jornalista esqueceu de dizer que só terão direito a pensão as filhas dos militares que, após a edição da MP do Mal, em dezembro de 2000, optaram por seguir contribuindo com mais 1,5% para a Pensão Militar, além dos 7,5% obrigatórios.

Leia também:
Comoção nacional à vista! 'Fantástico' vai 'baixar a lenha' nas pensões das filhas de militares
Numa segunda-feira em que, certamente, o alvo da indignação seletiva da Nação será a previdência militar, decidi republicar o texto a seguir, que postei no blog em junho de 2011. Confira:
A Previdência dos militares
Gerhard Erich Boehme (*)
gerhard@boehme.com.br
No caso específico dos militares, desde os primórdios das Forças Armadas no Brasil, os militares, enquanto vivessem, recolhiam contribuições voluntárias, quer tivessem filhas ou não, para beneficiar a viúva e as filhas em caso de seus falecimentos. Esse sistema era chamado de Montepio Militar.
Em 1960, o Governo resolve incorporar ao Tesouro os fabulosos recursos do Montepio Militar (que era propriedade privada dos militares) e, a título de compensação, assume o compromisso de pagar a pensão militar em substituição ao Montepio. Saliente-se aqui que o Governo fez excelente negócio: incorporou uma fortuna ao Tesouro e comprometeu-se em desembolsar suaves prestações, ao longo dos anos, no pagamento de pensões.
Esse pagamento era capitalizado pelas contribuições dos militares que deixavam para suas esposas e filhas os valores de 20 vezes a contribuição no caso de falecimento normal, 25 vezes no caso de falecimento em serviço e 30 vezes no caso de morte em campanha (guerra).
Com o advento da Constituição de 1988, outro golpe foi aplicado em cima dos militares. É oferecido pelo governo, assim como para os funcionários civis, o pagamento da pensão integral na graduação ou posto do militar no momento de sua morte. Essa proposta resolvia os problemas das necessidades das famílias enlutadas, mas, em sua estrutura, escondia um ardil contábil: as contribuições dos militares aumentaram desmesuradamente.
Em 29 de dezembro de 2000, nova alteração, e claro, mais um golpe. A contribuição aumenta mais (pensão para a esposa 7,5%, pensão para a filha 1,5% e fundo de saúde 2,7% dos vencimentos totais, perfazendo um total maior do que o recolhido pelos funcionários civis) e a obrigação de continuar esse recolhimento na inatividade (os militares são os únicos funcionários federais nessa situação). Esses fatos fazem com que os militares recolham as contribuições, em média, por mais de cinqüenta (50) anos.
Apesar de tudo, o governo, tendo pleno conhecimento de toda essa realidade, não a divulga. A população do País ainda enxerga em cada militar um privilegiado, não raro exposto à execração pública. Onde o privilégio fica difícil de apontar (sem lembrarmos a penca de vicissitudes enfrentadas pelos militares ao longo da carreira) e o fato de que a grande maioria dos países do mundo possui um plano diferenciado de aposentadoria, com alguns privilégios, para os seus militares (no Brasil, a aposentadoria dos militares também é diferenciada: é pior do que a dos funcionários federais civis, que nada mais pagam ao se aposentarem com vencimentos integrais).
Materializando essa situação, hoje, é mais ou menos assim: um coronel, após mais de 50 anos de contribuição, (isso acontece em todos os postos ou graduações) contribui com R$ 960,00 mensais e, ao falecer, deixa uma pensão de R$ 8.000,00. Se essa retribuição fosse feita pelo critério anterior, ou seja, de 20 vezes o valor da contribuição, esse valor subiria para R$ 19.200,00. Um valor 120% maior. Em um plano de capitalização particular, durante 50 anos, essa importância seria consideravelmente maior.
Na nova reforma em gestação, novas perdas, com certeza, virão. Não temos sindicatos para defender os nossos interesses e não podemos fazer greves. Somos disciplinados e patriotas. Infelizmente, os bravateiros são insensíveis e só conhecem os argumentos calcados na força.
Desse rápido estudo fica claro que o Governo, para resolver seus problemas de caixa, aplica seguidos golpes em cima dos militares. Nessa seqüência, é plausível prever, num futuro próximo, o seguinte golpe: vamos matar todos os militares reservistas, reformados e os seus dependentes, pois esses velhinhos só dão prejuízos!
Agora vamos pensar nas aposentadorias milionárias dos terroristas e assassinos que agiram sorrateiramente nos tempos da “Ditadura Militar” (1964-1985), os quais sabiam a quem e por conta de quem lutavam, seguramente não a favor dos brasileiros, queriam aqui nos impor uma DITADURA REAL, tal qual a que existiu na antiga União das Repúblicas Socialistas Soviéticas e ainda existe em Cuba.
Privilégios e benefícios são almejados por todos, e não custa lembrar um notório liberal francês e habilidoso por desmascarar as propostas socialistas surgidas na França na primeira metade do Século XVIII, que com sua frase foi sábio: “O Estado é a grande ficção através da qual todo mundo se esforça para viver à custa de todo mundo.” (Frédéric Bastiat)
(*) Gerhard Erich Boehme é perito criminal pela Polícia Técnco-Científica do Estado de São Paulo, consultor em gestão organizacional, professor universitário e consultor/pesquisador na área de implantação e implementação de Conselhos Comunitários de Segurança.
Portal Militar/montedo.com
Fonte: montedo.com

terça-feira, 19 de julho de 2016

Quinto Encontro da Turma 2/1983 do CAdest

   Mais um marcante encontro de Turma de Veteranos Fuzileiros Navais, o 50 da Turma 2/1983, do então Campo de Adestramento do Grupamento de Fuzileiros Navais de Brasília DF – (CAdest/GptFNBr), o evento aconteceu no dia 16 de julho de 2016 (sábado), num sítio de um dos componentes da Turma, em Goiânia/GO, e contou com a presença de um número significativo de Veterano, familiares, amigos e convidados.
   Os tradicionais encontros de Veteranos tem um aspecto muito importante, CONGREGAR Fuzileiros Navais de ontem, de hoje e de sempre, são nessas reuniões, onde relembramos toda nossa trajetória na ‘briosa’, e, aqueles que, por motivos diversos, resolveram deixar de seguir a carreira militar e honradamente seguiram outras profissões, relatam suas experiências vividas.
   Eu não participei do evento, mas, não precisava participar para ver que foi uma festa muito bem organizada, alegre e descontraída, através de alguns comentários capitados no whatsapp e as fotos abaixo.
   BRAVO ZULU! 
   Por Lucio Lucena
   Assessor da Presidência da AVCFN, Editor do Blog


Os Comentários:
Miranda - Como é bom fazer parte dessa família,  como é bom vê a alegria estampada em cada rosto, em cada gesto.  Agradeço mais uma vez a todos por tanta confiança colocada na minha pessoa. Agradeço e parabenizo a comissão de evento em Goiânia mais uma vez conseguiram superar as nossas expectativas,  tudo maravilhoso,  agradeço em nome da TURMA a mãe e a família do Vaula, mais uma vez recebendo a todos com muito Amor e cheios de ternuras. Por fim, agradeço a Deus a possibilidade de confraternizar com pessoas e famílias especiais, como são vcs e familiares. OBRIGADO por tudo galera, vcs são amigos de verdade!  Adsumus ........
Francisco - Foi minha primeira participação. Foi especial rever e recordar de momentos que estavam adormecidos em minha memória. Muito intenso esse encontro.
Caio Maggi - Caros irmãos, foi um enorme prazer estar com vcs novamente e que bom que a família está aumentando. Em dezembro estaremos juntos novamente. Um grande abraço a todos.
Joacélio - Galera obrigada por mais este momento de confraternização com todos vocês meus irmãos, foi mais uma vez muito bom e principalmente por ter mais alguns desses nossos irmãos que anteriormente não tinham participado e agora acho irão aumentar e abrilhantar ainda mais nossos encontros,  obrigado a todos.