quinta-feira, 31 de julho de 2014

Verdadeira Obra de Arte...!!!

Observe com bastante atenção esta obra!
O papagaio é na realidade uma mulher que posou para Johannes Stötter.
O artista passou semanas planejando a transformação.
Repare que uma das pernas da mulher formou a cauda da ave e, a outra, uma asa.
Um braço da modelo originou a cabeça e o bico.

quarta-feira, 30 de julho de 2014

Militar Vota em Militar - I

     Hoje, quarta-feira 30/JUL/14 Lucena e Manoel Presidente e Vice-Presidente da Associação Esportiva Saco e Maca – AESM (o popular “Saco Mucho”), tivemos  a oportunidade de visitar o escritório de Advocacia do Dr. Arnaldo Freire, onde fomos tratar de assunto relacionado a nossa Associação. Fomos muito bem recebidos pelo Nobre Advogado e sua equipe. Aproveitamos para falar um pouco de política, já que o Dr. Arnaldo Freire é Candidato a Deputado Estadual do RJ. Confesso que só não fiquei surpreso com a estrutura política dele e seus projetos, porque já conheço o Dr. Freire desde os tempos de militar da ativa, sempre demonstrou ser um bom companheiro e muito firme em suas ações, como não podia ser diferente, nos passou confiança, equilíbrio e principalmente segurança com seus ideais.
    Partindo do princípio que MILITAR VOTA EM MILITAR, ou, naqueles que se identificam com a honestidade inerente de nossa classe, tai mais uma opção entre outras.

      BRAVO ZULU DR.


AD SUMUS!

terça-feira, 29 de julho de 2014

Suas Atitudes Valem Mais Que Suas Intenções

problemas
Em primeiro lugar eu desejo que você tenha um dia bem produtivo, abençoado e principalmente que você seja presenteado com luz, saúde e prosperidade.
…o que vale mais?
Intenções ou as atitudes?
Pois é bastante comum, pessoas dizerem: “o que vale é a intenção!”.
Eu digo que “boas intenções não tem valor algum sem uma atitude concreta”. Ou seja: a grandeza do ser humano está na atitude, na ação concreta. Sem ela de que adianta uma boa intenção, aquilo que alguém quer fazer ou pensa em fazer, sem levar a concretizar?
De que adianta ter a intenção de ajudar alguém, se não formos capazes de mover um único osso de nosso corpo nessa direção?
De que vale a intenção de respeitar alguém, se na verdade agimos pensando apenas em nós mesmos?
De que vale a intenção de amar, se agimos com o mais puro desamor?
Para ser sincero, vale muito pouco, para não dizer, nada.
Eu posso ter os mais belos pensamentos e ideais, se eles não estiverem acompanhados de atitudes coerentes e concretas, tornam-se apenas uma cantiga para anestesiar a minha consciência ameaçada pela culpa de não ter agido de acordo com ela.
Vou tentar ser mais específico.
Professor Carlinhos, um antigo conhecido e colega, recentemente me relatou uma experiência que se encaixa bem como exemplo sobre o que eu quero mostrar nesta reflexão.
Ele é solteiro e mora sozinho. Mas isso não faz dele uma pessoa solitária. Ele é muito sociável, tem bastante amigos, suas rede sociais estão repletas de centenas de “amigos”.
Acontece que há alguns dias, Carlinhos teve uma enfermidade que o deixou literalmente de cama. Apesar da notícia ter circulado entre os amigos, muitos manifestaram desejos e intenções de melhoras, até citaram nas redes sociais, palavras de apoio.
Mas, de concreto, nenhum deles se dignou ir até a sua casa, para lhe prestar alguma ajuda, apoio e solidariedade. Ou seja, todos ficaram cheios de boas intenções, sem atitudes concretas.
Apenas uma das suas amigas, Raquel, com quem tem menos contato, ao saber da situação, deixou todos os afazeres e foi levar seus préstimos para cuidar dele. O levou ao médico e ao retornarem para casa, ficou cuidando dele até ele se reestabelecer e voltar à ativa novamente.
Agora, eu pergunto a você: Quem fez a diferença para Carlinhos? Todos os “amigos” bem intencionados ou aquela pessoa que agiu, além das intenções?
Para você pensar hoje!
Quantas coisas na sua vida tem sido mera intenção e ao analisar, percebe que não obteve o resultado que gostaria, por que faltou um ingrediente, “a atitude”?
Pessoas que já tiveram intenção de mudar de emprego, de cidade, de condição, mas não agiram. Nem atualizar um currículo profissional e enviar para uma possível vaga foram capazes.
Tem aqueles que ainda dizem simplesmente para si próprio: “ Eu não tive a intenção de ferir ninguém”. Isso não passa de uma desculpa para não se sentirem culpadas pelo mal que causaram.
É como se tornar crianças dizendo: “Ah… Mas eu não queria que fosse assim”. Como se dessa maneira o mal causado se tornasse menor ou menos nocivo.
Quero finalizar nosso encontro de hoje, provocando mais uma reflexão.
Palavras isoladas são para covardes, que fogem e se escondem. Apenas os corajosos são capazes de uma ação realmente concreta. Portanto, coragem tem a ver com ação, com enfrentar as dificuldades de frente.
Se você gosta de alguém… Mostre! Tenha atitudes amorosas. Seja atencioso, respeite, proteja, acalente. Torne-se presente. Olhe de verdade para essa pessoa, perceba a sua existência, coloque-se no lugar dela.
Tente perceber o que ela pode estar sentindo e tente agir da melhor forma que puder. Não se esconda atrás de suas palavras. Palavras “bem ditas“, são as que veem acompanhadas de atitudes.
Sigmar Sabin – Professor e Aprendiz da vida – sigmarsabin@bomdiahoje.com.br
Do blog:
Conheço muitos, digo, muitos que são cheios de boas intenções e zero em suas ações... Sei que faço muito pouco pelos que precisam de mim, mas, pelo menos faço alguma coisa! E você 'já fez algo pelo seu semelhante carente? Se não meu amigo, faça e veja como você vai se sentir bem em ajudar... BOAS AÇÕES!
Por Lucio Lucena Diretor de comunicação da AVCFN e Editor do blog

Subtenente é encontrado morto em estacionamento de quartel do Exército em Campo Grande

Militar é achado morto dentro do carro em estacionamento de quartel na Capital

Waldemar Gonçalves
Campo Grande MS - O subtenente do Exército Edilson Teles dos Santos, de 44 anos, foi encontrado morto na tarde desta segunda-feira (28) no estacionamento do 3º Grupamento de Engenharia, em Campo Grande. 
Segundo as informações do CMO (Comando Militar do Oeste), o subtenente foi encontrado dentro do próprio veículo, por volta das 15 horas. Ele tinha um ferimento no peito. Dentro do carro também foi encontrado um revólver, calibre 38, registrado em nome do militar.
Edilson era casado e pai de um casal. O CMO informou que “todas as medidas de apoio médico, psicológico e de suporte espiritual aos familiares já estão sendo tomadas”. Fontes extraoficiais informam que Edilson teria retornado recentemente do Haiti, onde o Exército brasileiro mantém uma força de paz.
Com informações do site MidiaMax
Via Montedo

Nota de Falecimento - Comandante ISO

   Com muita tristeza publico a nota abaixo que recebi via e-mail do Comandante Vamberto, de Natal/RN, sobre o falecimento do Comandante ISO
Segue a Nota:
     Prezados companheiros,
     Sinto informar-lhes haver acompanhado a viagem à ultima morada, o Parque Jardim da Saudade de Paciência, nesta data 26 de julho de 2014, do  nosso querido companheiro e chefe ISO JURACY DE MELO, primeiro presidente da Aprama, associação que ajudou a criar em 26 de julho 1985 e que teve seu mandato vigente por quatro anos até 28 de julho de 1989. Estavam comigo os Comte. NÔGA e RAMIRO. Cearense de Itapipoca, nascido em 1º de novembro de 1933, ingressou na Marinha em 1952 tendo cursado artilharia. Vida que segue, após vários cursos na sua área de atuação, galgou o oficialato e de 1982 a 1984 tive a oportunidade de trabalhar com ele na Esquadra quando o ComEmCh (Comandante-em-Chefe da Esquadra) era o Almirante SABÓIA. Foi o primeiro oficial do Quadro Auxiliar a ser promovido ao posto de Capitão-de-Mar-e-Guerra. Enérgico sem ser desleal, de uma generosidade ímpar quando lidava com os subalternos e de uma fidelidade fantástica quando tratava com os iguais e os superiores. Este foi o Comandante ISO que eu conheci ainda capitão-tenente e que, ironicamente, foi sepultado no dia em que a agremiação que ajudou a criar completou 29 anos de existência. Que Deus o receba trilhando um caminho de luz e o ampare nessa jornada que é o destino de todos nós e não desampare os que ficaram com a lembrança dele no coração. BRAVO ZULU, VELHO COMPANHEIRO! VÁ EM PAZ! Patrocínio.
     P.S. Solicito repassar aos companheiros do relacionamento em comum.
     No mesmo e-mail a Oração:
    Oh Meu Deus! Rogo-te Senhor, pelo teu filho amado,  nosso irmão Comte Iso, que o Senhor criou a sua imagem e semelhança, conceda a sua alma: Luz, muita Luz, Paz, muita Paz Espiritual, e um lugar no Reino Celeste. Pois, nessa longa caminhada pela estrada da vida, tivemos a honra e a grata satisfação de conviver com ele, e, aprender muito com seus exemplos que, instintivamente nos demonstrava. E válido evidenciar que alcançamos o último patamar da carreira, graças aos seus qualificativos, principalmente o seu profissionalismo, que sem dúvida, serviu de parâmetro, para avaliar o merecimento do último posto dos oficiais do quadro. Declaro  ainda, que me sentia um premiado, quando tive o querido amigo Iso, como conselheiro na "Viagem de Instrução XXI"  NE Custódio de Mello. em 1979. Descanse em Paz! Saudades irmão! Guardo vc no meu coração. Deus te abençoe! 

     Ficam aqui registrados os sentimentos de pesar da Associação Esportiva Saco e Maca - AESM (nosso popular “Saco Mucho”), Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais - AVCFN, em meu nome pessoal e de minha família aos familiares e amigos do saudoso ISO, que o Bom Deus com sua infinita misericórdia acolha sua alma no Batalhão da Eternidade e conceda conforto aos seus familiares e amigos nessas horas de transição.


    Por Lucio Lucena.
    Diretor de Comunicação da AVCFN e Editor do Blog

segunda-feira, 28 de julho de 2014

O TEMPO, A HISTÓRIA E A DÚVIDA - PARTE II

          Segue a segunda parte da matéria do Veterano e Escritor Espedito Moreira (Colonista do nosso Blog e do Site da AVCFN).
         Nota de esclarecimento: o conteúdo dos textos  não são recorrentes – a primeira parte foi com religião e a segunda, com “quem sabe mais” . Ambas são fatos históricos e tem apenas finalidade “recreativa”.
        Participe, faça seu comentário!
O TEMPO, A HISTÓRIA E A DÚVIDA
Espedito Moreira de Mello*
II
Aqueles que estudaram, pelos menos um pouco a História do Brasil, aprenderam que foi Pedro Álvares Cabral quem descobriu (achou/encontrou) o Brasil no ano de 1500. Somando mais alguns detalhes, isso teria ocorrido no dia 22 de abril daquele ano, depois de navegar durante 43 dias, partindo de Lisboa no dia 9 de março, comandando uma frota de treze navios (caravelas). Conta a história que o objetivo da missão era chegar à Índia, onde seriam mantidas negociações para a fixação de uma estrutura para servir de apoio a transações comerciais. Durante a viagem, teria havido um acidente de percurso por falta de ventos, levando a frota a se desviar da rota previamente traçada. Em consequência disso, chegaram até as terras ainda desconhecidas.
Sem fazer elucubrações, tais como: a) se Pedro Álvares Cabral era militar, comandante da frota, ou apenas chefe da missão; b) se o descobrimento ocorrera mesmo por acaso, pela alegada calmaria – foi um afastamento muito longo – visto que, por acordos firmados entre Portugal e Espanha, estava prevista a existência de terras para esses lados; c) por fim, após as formalidades de posse da nova terra, chamada de Ilha de Vera Cruz, a frota parte do ponto onde estava fundeada, seguindo rota traçada, em linha reta, até o objetivo predefinido originalmente.
 A sequência de fatos mencionados a seguir formulará o objeto da dúvida que o leitor poderá ajudar a esclarecer:
I) em 1500, quando a nova terra foi descoberta, ela foi chamada de “Ilha de Vera Cruz” porque se acreditava ser uma ilha a terra encontrada. Verificado o engano, mudaram para “Terra de Santa Cruz” e, mais tarde, “Brasil”;
II) em 1534, depois de identificado todo o território descoberto, o rei de Portugal dividiu-o em grandes lotes (inicialmente 15), depois denominados “capitanias hereditárias”, e alugou-os (doou-os) a gente da nobreza,  mediante determinada recompensa pecuniária;
III) em 1549, o rei de Portugal nomeou o primeiro governador-geral para a colônia, seguindo-se várias outras nomeações para o mesmo cargo, mudando apenas o título do ocupante. Ora era governador-geral, ora era vice-rei,  situação que durou até a mudança da família real de Portugal para o Brasil;
IV) em 1808, a família real e toda a corte portuguesa se transferem para o Brasil. Chegando aqui, D. João, então príncipe regente, tomou várias decisões político-administrativas para facilitar a sua administração, sendo uma delas a elevação do Brasil à categoria de “Reino Unido de Portugal, Brasil e Algarves”, daí surgindo um novo ente político-administrativo no cenário mundial;
V) em 1822, o Brasil se torna independente de Portugal.
Eis a dúvida.
Observando-se as datas citadas e os fatos registrados, sem levar em consideração os dias e os meses, quantos anos o leitor acha que tem o País hoje, em 2014?
Escolha a opção a seguir e justifique.
a)      514;
b)      465;
c)      206;
d)     192;
e)      Nenhuma dessas.
Eu não sou dono da verdade, mas já fiz a minha escolha e vou justificá-la. Mas só no próximo “episódio”. Se o leitor escolher a mesma opção que eu, justificando sua decisão, vou concordar total ou parcialmente. Contudo, prometo explicitar o meu ponto de vista particular sobre a questão.
Até a próxima, isto é, se este texto for publicado.


*Veterano, escritor, membro da União Brasileira de Escritores (UBE-RN)
Por Lucio Lucena Diretor de Comunicação da AVCFN e Editor do blog.

Divirta-se com os animais

domingo, 27 de julho de 2014

Festa de ANIVERSÁRIO do Cmt Armando

      No dia 19 de julho/2014 sábado, foi o aniversário do Líder do Grupo Lobos do Mar e nosso Associado do Saco e Maca (“Saco Mucho”) Comandante Armando, mas, foi comemorado ontem 26/JUL/2014 sábado no Clube da Associação dos Servidores Civis da Aeronáutica (ASCAER). Foi uma tarde de neblina serena, um clima agradável e bastante descontraído, onde muitos amigos e familiares do Armando vieram dar um fraterno abraço e transmitir mensagens de carinho ao Ilustre aniversariante. Além da presença dos seus queridos amigos, contou também com a do Nobre Deputado Federal Jair Bolsonaro, do Comandante FN Ribeiro Afonso e do Suboficial FN Dr. Arnaldo Freire; faço questão de destacar estes três últimos, por serem candidatos na próxima eleição, os dois primeiros a Deputado Federal e o Dr. Arnaldo Freire a Deputado Estadual. Devemos sempre ter em mente que MILITAR VOTA EM MILITAR!    
     E por último, não menos importante, desejamos felicidades para o Comandante Armando, por este dia tão especial que foi o seu aniversário. Que possa ter muitos anos de vida, abençoados e felizes, e que estes dias futuros sejam todos de harmonia, paz e desejos realizados.
      Que seu coração, esteja sempre em festa, porque você é um ser de Luz e especial para todos nós. PARABÉNS! FELICIDADES SEMPRE...!
      Feliz aniversário!

sexta-feira, 25 de julho de 2014

Festas Sociais da AVCFN e Saco e Maca

     Segue uma nota que recebi do amigo Medeiros lá de Natal RN sobre evento na Sede Regional da Associação de Veteranos do Corpo de Fuzileiros Navais - AVCFN/SR/Natal.

     Amigo Veterano, nesta sexta-feira 25/07/2014, comemoraremos mais uma última sexta-feira do mês.
     Teremos música ao vivo e das boas, duas caixas de cervejas, salgados, refrigerantes e gelo totalmente grátis.
     Se preferir destilado, pode levar ou adquirir no bar "RECANTO DO VETERANO".
A partir de 18h00min na nossa sede social.
     Portanto, compareça e leve sua esposa, pois o ambiente é nosso.

     Um forte abraço

     Firmino – Presidente da AVCFN/SR/Natal
 
Foto da Festa Pai Veterano da AVCFN em agosto de 2013 na Casa do Marinheiro
       E aproveitando o espaço, lembro que hoje também é o dia de nossa reunião de Veteranos na Sede de nossa Associação Esportiva Saco e Maca - AESM (“Saco Mucho”), onde vamos saborear um SUCULENTO CHAMBARIL, a moda Manoel Rapadura, regado com boas cachaças artesanais e bons dedinhos de prosas.
       Não podemos esquecer também o nosso CHURRASCO, em homenagens aos pais Sacomuchianos, no dia 16 de agosto sábado (Posteriormente será divulgado a nota sobre o evento), e, no dia 30 de agosto é a vez do PAI VETERANO, evento da AVCFN na Casa do Marinheiro, é só acessar o site da AVCFN www.avcfn.com.br (quando de avisos) e ver a publicação sobre o evento.
ADSUMUS!

Operação Militar no Morro do Dendê na Ilha do Gov.

Policiais militares fazem operação no morro do Dendê, no Rio
Policiais Militares fazem nesta quinta-feira uma operação no morro do Dendê, na Ilha do Governador, zona norte do Rio de Janeiro. A ação conta com policiais do 17º BPM (Ilha), Batalhão de Ações com Cães (BAC) e do Batalhão de Choque (BpChoque) e busca checar denúncias sobre o tráfico de drogas na região. 
Próximo ao Aeroporto Internacional Tom Jobim (Galeão), o morro do Dendê resiste como um dos redutos do tráfico no Rio de Janeiro. Até as 13h30, um suspeito foragido do sistema prisional havia sido detido e encaminhado para a 37ª Delegacia de Polícia. Ainda não há informações sobre apreensões.

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Cão apronta sozinho em casa

Veja o que seu cão faz em casa quando você sai! Ainda falou pro gato: Se contar pra alguém, eu te pego.


A gente Nasce e morre assim. E TALVEZ POR ISSO MESMO E Que se Precisa Tanto de Viver acompanhado.
Rachel de Queiroz

HOSPITAL DE OLHOS DE SOROCABA - Alerta

      Segue abaixo um e-mail que recebi do Comandante Batista lá de Recife/PE, falando sobre e-mail/correntes que circulam na NET, e que, muitas vezes recebemos e repassamos sem verificar a veracidade do fato, né verdade? Pois bem, a respeito do assunto citado abaixo, tenho recebido também várias vezes, e, simplesmente deleto, já tinha conhecimento do fato, só me faltava um reforço para postar neste espaço.
        Caso persista a dúvida, ligue e esclareça!

Segue a cópia do e-mail recebido:

Prezado veterano e amigo
GONÇALVES,

Boa noite.
       
       Foi com relativa surpresa que  recebi essa sua mensagem (repasse), vista que há 4 (quatro) anos a recebi de outros  contatos, repetindo a mesma 'conversa', envolvendo, além da TV Globo, a Maçonaria  Logo de primeira, para saber detalhes, para melhor fazer o REPASSE sem embaraços e dúvidas. (Na ocasião: 2010-2011, havia o telefone do Hospital de Olhos de Sorocaba) telefonei e fui bem atendido. A atendente esclareceu-me, afirmando que eram informações falsas e que o Dr. EDUARDO BEZERRA não pertencia nem trabalhava no dito Hospital e que a TV Globo já havia desmentido sua participação  no  assunto. A partir de então, recebi a  msg em lide repetidas vezes e as fiz retornar ao remetente avisando-o do fato.
       Ao que tudo indica, as pessoas  deixam de dar a maior atenção ao que lêem e deixam escapar detalhes claros de uma  informação falsa. Logo acima da assinatura do Dr. EDUARDO BEZERRA,  há uma lista - repetida -  14 vezes o mesmo número de celular (15) 93212-7009.
       Achei por bem, mandar cópia desta minha mensagem ao Veterano LUCENA, para evitar a possível divulgação como 'utilidade' através do fidelíssimo Blog sob suas ordens.
Receba meu Veterano abraço.
BATISTA
     "Quem com ferro fere... " E o perigoso bicho homem também já vai virando animal em extinção; é o que acontece com todos os grandes carniceiros: já quase não existem leões no deserto, nem tigres de Bengala; e o mesmo sucederá conosco, que somos os mais ferozes de todos os predadores.
Rachel de Queiroz

Seis erros na hora do sexo

Seis coisas que você nunca deve fazer na cama com ela


quarta-feira, 23 de julho de 2014

Chambaril no Saco e Maca ("Saco Mucho") 25/JUL/14

     Na próxima sexta-feira 25 de julho/2014 no nosso tradicional encontro de final de semana na sede do “Saco Mucho”, vamos saborear um suculento Chambaril (conhecido também como OSSO BUCO, ou seja, a perna do boi/vaca cortada horizontalmente, ou ainda, músculo com osso) com pirão e legumes, a moda Manoel Rapadura, regado com boas cachaças artesanais e muitas cervejas geladas acompanhadas de petiscos, além daqueles gostosos dedinhos de prosas, boas piadas e causos verídicos de caserna que só Veterano sabe contar!
   Você já cumpriu sua primeira comissão (serviço ativo), está cumprindo a segunda (reserva/aposentado) e a terceira, é no Batalhão da Eternidade! Então Velha-guarda, venha aproveitar esses belos momentos que o “Saco Mucho” lhe proporciona, antes que o mapão te arraste para cumprir essa última comissão!
     Vale lembrar que a despesa NÃO é custeada por nossa Associação Esportiva Saco e Maca – AESM (o popular “Saco Mucho”), e sim, por adesão, ou seja, R$ 30,00 (trinta reais) por pessoa, incluído bebida e comida, no horário compreendido entre 12 e 20 horas.

Foto do CHAMBARIL em 23/Mar/2012, por ocasião do aniversário do saudoso Arsênio, onde contamos com a presença do nosso ilustre Associado Deputado Jair Bolsonaro, que, sempre que possível, se faz presente em nossas reuniões. 

Para os interessados, ai vai uma receita - Aproximadamente 20 pessoas.

Ingredientes

4 peças de chambaril (osso buco)
 
3 repolho pequeno cortado em quatro
2 Kg de batatas
1 Abóbora
6 Bananas da terra verdes, cortadas em pedaços
Folhas de louro
2 pimentões
Água de maneira que sobre o caldo para cozinhar os legumes e bater o pirão
Sal a gosto
Cheiro verde e
Farinha de mandioca

Modo de preparar

1. Ponha o chambaril para cozinhar, com cheiro verde (coentro, salsa e cebolinha), o louro, a pimenta e sal a gosto.

2. Quando a carne estiver bem macia, retire da panela e reserve.

3. Coloque o restante dos legumes até ficarem cozidos. Retire do caldo e reserve.

4. Verifique o sal do caldo, e bata o pirão, colocando a farinha pouco a pouco sem parar de mexer até ficar a seu gosto.

5. Aqueça a carne e os legumes e pode tocar rancho

Mas, vá pela sombra, se não depois o mofêu ataca e babau...

O TEMPO, A HISTÓRIA E A DÚVIDA - Parte I

     Segue a primeira parte de uma matéria que achei muito interessante do Veterano e Escritor Espedito Moreira (Colonista do nosso Blog e do Site da AVCFN).
     Nota de esclarecimento: o conteúdo dos textos  não são recorrentes – a primeira com religião e a segunda, com “quem sabe mais” . Ambas são fatos históricos e tem apenas finalidade “recreativa”.
     Participe, faça seu comentário!
O TEMPO, A HISTÓRIA E A DÚVIDA

Espedito Moreira de Mello*
I
As pessoas da minha geração, as antecedentes e as posteriores, nascidas na minha região, até os anos 1950, costumavam ouvir, nos primeiros anos de infância, histórias (ou estórias) narradas pelos pais, tios, parentes. Essas narrativas, reais ou fictícias, tinham o intuito de divertir ou instruir as crianças e até mesmo os adultos que se tornavam passadores da cultura às gerações seguintes.
As crianças, principalmente, se entretinham navegando nas ondas da narração criativa do ator/narrador. O interessante era que, além das pessoas, os bichos também falavam. Havia “encontros” das mais diversas espécies, todos se entendendo na mesma língua. Eram comuns as reuniões cujos integrantes eram raposas, macacos, galos, tartarugas, coelhos, gatos, cachorros, ovelhas e até mesmo o rei dos animais, o leão, tinha assento garantido. Ele costumava chegar assessorado por tigres, ursos, elefantes.
As crianças se divertiam muito. Algumas chegavam a fazer chantagem: “só vou dormir se fulano contar historinhas pra mim”. Acordo fechado. O narrador escolhido punha-se a postos, como de costume, ao lado da rede do cliente exigente, corpo colado à peça de modo a promover o balanço vai e volta. Com isso e o som do enredo da narrativa, em pouco tempo, completava-se o serviço. Estava tudo terminado e o cliente satisfeito completamente.
É verdade que muitas vezes os narradores se deparavam com alguns obstáculos: “por que os bichos hoje não falam como nós?” Cada narrador tinha a sua maneira de esclarecer a dúvida. Fosse ela qual fosse, sempre resultava de que daí para frente, quando a ação envolvesse animais, a narrativa começaria assim: “No tempo em que os bichos falavam... o rei leão convidou a dona raposa, o senhor galo e outros amigos para uma festa na casa dele...”   
Essa ação esclarecedora não punha fim a todas as dúvidas, porque no meio das negociações, para satisfazer as necessidades do “cliente”, havia escassez de profissional disponível – o narrador. Birra vai, birra vem.  A mãe (ou o adulto), sem argumentos convincentes, costumava apelar: “vá dormir (ou vá fazer isso ou aquilo) porque se você não for, ‘papai do céu castiga”.
Diferente dos tempos atuais, as crianças dessas gerações, há cinquenta ou mais anos, tinham as palavras “papai e mamãe”, não necessariamente nessa ordem, como sendo as primeiras que aprendiam a pronunciar e a assimilar o seu correto significado.  Cada avô (materno ou paterno) era chamado de “papai velho” e cada avó, “mamãe velha”. Eram pessoas de carne e osso a quem se dispensava todo o respeito e toda a obediência. Sempre tinham o dever de mimar, de acariciar e, também, o poder de se fazer respeitar e aplicar os castigos merecidos quando necessários. Agora, surge esse “papai do céu” invisível e ameaçador que ninguém conhece pessoalmente. Como provar, para a criança, a sua existência? Missão difícil. Como o leitor faria naquela época? Como procederia nos dias atuais?
Para as histórias fabulosas ou não, a presença do narrador de carne e osso, praticamente, desapareceu. Foi substituído pela TV, de preferência em alta definição; pelo celular, de modelo moderno; pelos games eletrônicos. Nos tempos atuais, não é recomendável aos responsáveis tentar convencer os “pequeninos” apelando para a expressão “papai do céu castiga”, porque correm o risco de responder na justiça por ameaça de maus tratos.
 A tecnologia e a criatividade humana, por exemplo, deram “vida” personalizada aos animais por intermédio dos desenhos animados. Walt Disney, Joseph Barbera e William Hanna (Hanna-Barbera), entre outros, promovem o entretenimento da criançada e aguçam as preocupações dos pais. É visível que banalizaram as figuras dos “atores”. Hoje qualquer risco cria “vida” e sai “falando”; não se vê mais um “Tom e Jerry”, uma “Pantera cor de rosa”. Bom, mas, a outra parte, como fica? 
À medida que a criança cresce, e convive no âmbito da religião católica, por exemplo, passa a ter contatos com relatos sobre a origem da vida. Nenhum ser vivo existia antes, diz a história (dita sagrada). O Criador começa a criar e dá vida e condições ambientais para a existência de muitas criaturas. Por fim, observa que precisa criar alguém à sua imagem. Decide criar o homem. Esculpe-o em barro, dá-lhe o sopro da vida. Adão seria o seu nome. Porém, ainda faltava alguém. De uma costela de Adão, criou Eva. Ambos viveriam no paraíso e deveriam se multiplicar e povoar a Terra.
O que aconteceu com Adão e Eva está, de certa forma, explicado no livro Gênesis, da Bíblia. A dúvida está no processo e no resultado final relativo ao visual do casal. Ou seja, sua pele era branca, preta, amarela, uma vez que essas cores predominam distintamente na raça humana. Qualquer que fosse a cor do casal, como surgiram as outras? A cor da pele e a característica física são próprias de cada região territorial. Desta forma, o habitante original da África tem pele preta, o da Ásia, amarela e o da Europa, branca. Não dá para aceitar como resposta a miscigenação, como se caracteriza na população brasileira, por exemplo. É outra história.
Se o leitor tiver uma resposta convincente, por favor, não me deixe esperar.


*Veterano, escritor, membro da União Brasileira de Escritores (UBE-RN)

Aguarde a segunda parte em breve...